quinta-feira, 2 de outubro de 2008

“Desejo”


“Desejo”
Nunca queira demais, o que não esta escrito,
mas sempre o que for ofertado com prazer...
Queira sem pensar no máximo e nunca tenha
o olhar maior que seu desejo...
A fluidez da beleza é tão somente o nosso desejo
mais intenso.

Desejo sábia palavra inconteste,
onde inspiro o pensamento que vaga,
por constelações nunca vista,
embriagando com poesia e sonhos,
onde o propulsor imaginário da paixão,
o desejo não se esvai e sim a ânsia de atiça-los.

Como aflora uma rosa vermelha numa tempestade,
no meio da colina de teus seios nosso amor desflora,
onde nas tuas curvas não perco a velocidade...
Assim vivo meu presente com esta paixão,
junto a ti, amando, como uma constelação...

Do mais puro prazer de um amor diferente,
entre risos e gemidos fomos violando nossos sentidos,
nos seus percursos buscamos e encontramos ,
o inconteste desejo inconsequentemente feliz.
(Rene Oliveira e Graciela da Cunha)
01/10/08
Publicado no Recanto das Letras em 01/10/2008
Código do texto: T1206736

Um comentário:

  1. Olá, gostei muito do seu blog. Ele é muito bom.

    Parabéns!

    Um abraço

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita e volte sempre!!
Me alegra
Graciela da Cunha