terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

AMARRAS


AMARRAS

Desnudo-me
a cada fragmento
que escrevo,
libertando minha
alma das amarras.
(Graciela da Cunha)

Um comentário:

  1. Que coisa linda de se ler poetisa!!!! parabéns por versos magistrais.

    ResponderExcluir

Obrigada por sua visita e volte sempre!!
Me alegra
Graciela da Cunha